Tratamento para flacidez na barriga

A zona abdominal, geralmente denominada apenas de barriga, é uma das maiores preocupações principalmente das mulheres, já que estas tendem a idealizar o corpo ideal e nesse caso esta região é uma das mais afetadas com alguns desleixos simples.

flacidez na barriga antes e depois

Antes e depois da radiofrequência

Apesar deste problema também ocorrer em homens, não é tão comum e ao mesmo tempo eles não dão a mesma importância.

Existem até muitas mulheres que escolhem a sua roupa diária de forma a esconder a flacidez na barriga, evitando ao máximo as idas à praia para não expôr demasiado a zona e assim se sentirem fragilizadas com o seu corpo.

Infelizmente existem várias razões que podem levar a este problema, sendo que o mais comum acaba por ser mesmo a falta de cuidados ou a adopção de um estilo de vida menos saudável, com pouca preocupação na alimentação e inexistência de prática de exercício físico.

Quando a pessoa deixa de ter uma vida saudável, com tudo o que isso implica, inicia-se o ganho de peso e de massa gorda, localizada em algumas zonas específicas do corpo, sendo que os músculos e a pele da barriga são igualmente afectados, com a falta de nutrientes necessários para se manter saudável.

Além disso, é necessário também praticar exercício físico para movimentar os músculos e assim os manter tonificados, caso contrário a flacidez na barriga será algo muito natural de ocorrer.

Existe ainda outra razão, bastante comum e que assombra muitas mulheres, que é o momento da gravidez. Durante 9 meses estas têm uma barriga muito grande, capaz de romper alguns músculos abdominais e até provocar a flacidez definitiva.

Nestes casos, a alimentação saudável e a prática de exercício físico podem ajudar, no entanto são os tratamentos de estética os indicados para ganhar a firmeza desejada.

Tratamentos para a flacidez na barriga

Geralmente quando se fala em tratamentos a maioria das pessoas assimila que tem que existir a ingestão de fármacos ou, nestes casos, de intervenções estéticas cirúrgicas, no entanto no que diz respeito à flacidez na barriga é possível iniciar o tratamento com escolhas, alterações de rotina ou até adopção de um estilo de vida mais equilibrado e saudável.

Alimentação equilibrada e saudável

A primeira alteração está relacionada com a alimentação diária, sendo que para manter a zona abdominal sem qualquer tipo de flacidez deverá adoptar uma dieta equilibrada, de acordo com o controlo de peso que deseja, fornecendo sempre os nutrientes apropriados para que a sua pele esteja no seu melhor nível.

Sendo assim, é aconselhável a ingestão de fruta e verduras, pois têm menos calorias e são ricos em nutrientes protectores, como os minerais e vitaminas.

Além disso, devem evitar ao máximo os hidratos de carbono, como os cereais brancos ou o açúcar, no entanto os hidratos são importantes, sendo por isso aconselhável que os troque por complexos.

Por último, mas extremamente importante, a ingestão de água deverá ser recorrente, pois além de se assegurar que as funções do organismo se mantém intactas, ajudam também a manter a pele hidratada e com a saúde necessária para afastar por completo a flacidez na barriga.

Ingestão adequada de proteínas

Se a adopção de uma alimentação equilibrada é essencial, a ingestão da quantidade certa de proteínas é também necessária para evitar ao máximo a flacidez na barriga.

As proteínas são nutrientes construtores e por isso são obrigatórios para aqueles que têm como objetivo regenerar os músculos, pois apenas com os músculos tonificados na zona da barriga é possível evitar a flacidez.

É na carne e no peixe que se encontra maior percentagem de proteínas, contudo é também possível encontrar em feijões, cereais integrais ou mesmo em soja. A gelatina, uma sobremesa, é também um alimento muito bom para quem pretende realizar um tratamento de flacidez na barriga, pois é uma excelente fonte de colagéno, um tipo de proteína com características reafirmantes.

Prática de exercício físico

A prática de exercício físico é recomendada por todos os médicos, não apenas para evitar a flacidez na barriga, mas também para manter o seu organismo em geral saudável, as suas articulações em bom estado e principalmente, o seu humor nos melhores níveis, já que uma vida sedentária está sempre associada a nostalgia e tristeza.

No que diz respeito à flacidez na barriga, o exercício físico mais importante são os abdominais, especialmente apropriados para o efeito, podem ser feitos de diversas formas, para que assim trabalhe os músculos do abdómen da forma correta. Além disso poderá complementar o seu exercício com corrida ou caminhada.

Se não gosta de fazer exercício físico de forma solitária, poderá inscrever-se num ginásio e requisitar a ajudar de um instrutor, certamente que ele lhe indicará um conjunto adequado para o seu problema, combinando força, alongamento e resistência.

Radiofrequência

Por outro lado, quando a alimentação correcta, a ingestão de proteínas e a prática de exercício físico já não são suficientes como tratamento para a flacidez na barriga, o passo seguinte é a radiofrequência.

Este é um aparelho que tem como principal função promover a sensação de calor superficial, apesar dos seus efeitos serem profundos, estimulando a produção das células de colágeno e elastina, que têm a principal função de sustentar a pele.

Os resultados surgem logo após a primeira sessão de tratamento, sendo que nas seguintes os resultados são progressivos, ou seja, a cada tratamento realizado, os efeitos são cada vez mais firmes.

Este é o tratamento indicado para as pessoas que dedicaram algum do seu tempo a perder peso, ficando agora com a zona abdominal extremamente flácida devido à presença de excesso de pele, tornando-se praticamente impossível apenas com os tratamentos mencionados em cima.

No entanto, é importante lembrar os pacientes que nem sempre é indicado recorrer à cirurgia estética, apenas em casos extremos, devido às possíveis complicações que podem surgir.

A radiofrequência pode ser usada por qualquer pessoa, desde que não haja doenças associadas, ou seja, não é indicado para pessoas com doenças cardíacas ou com o dispositivo intra-uterino (DIU). As sessões do tratamento duram perto de 45 minutos cada, podendo ser realizadas no máximo duas vezes por mês, sendo que o número de sessões necessárias depende de paciente para paciente.

O que Procura?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *