Tricoptilose

Revisado por Equipe Editorial a 22 outubro 2018 - Publicado a 9 de fevereiro de 2015

Denominação técnica do problema conhecido popularmente como “pontas duplas”, a tricoptilose pode sofrer agravantes, chegando a causar pontas triplas e quádruplas.

Tridoptilose pontas duplas

Embora muitas pessoas tenham tendência a acreditar que o aparecimento das pontas duplas é algo “normal”, o desenvolvimento da tricoptilose é um sinal de alerta do organismo, indicando que os fios estão com a saúde comprometida e que algo precisa ser realizado a respeito. Por outro lado, de maneira análoga à triconodose, quando os fios começam a se entrelaçar e formam nós, o problema também pode ser evitado mediante a adoção de uma série de cuidados.

Características gerais da tricoptilose

Entrando na raiz do problema, é preciso compreender que cada fio de cabelo é subdividido em três camadas, que se apresentam nessa ordem: medula, córtex, e cutícula (parte mais exposta às ações de produtos químicos e intempéries).

Quando os fios estão totalmente hidratados e com aspecto saudável, todos esses estratos permanecem selados. Porém, conforme os cabelos se tornam ressecados, ou denotam insuficiência nutricional, essas camadas perdem seu revestimento natural, que atua como barreira e fornece proteção aos fios. Esse processo acaba por deixar as partes internas mais vulneráveis, culminando na maioria das vezes no surgimento das pontas duplas, triplas, ou quádruplas.

Fatores que provocam a tricoptilose

A principal causa que leva à tricoptilose é o excesso de produtos químicos utilizados sobre os cabelos, sejam tinturas ou compostos direcionados ao alisamento dos fios. Se em um primeiro momento esses tratamentos proporcionam beleza, aumento do brilho, e até conferem um tom sedoso aos cabelos, com o tempo eles podem ocasionar danos graves, como o desenvolvimento da tricoptilose. Por isso, terapias capilares devem ser realizadas dentro de intervalos razoáveis, a fim de evitar grandes prejuízos aos fios.

O calor também é um grande inimigo dos cabelos, contribuindo igualmente para o surgimento da tricoptilose. No caso do referido problema, ele pode aparecer após os fios ficarem expostos a uma elevada incidência de raios solares, que em conjunto com a água da piscina ou marinha criam o ambiente propício à tricoptilose.

O calor gerado por determinados aparelhos, particularmente a chapinha e o secador, também produz o mesmo efeito negativo. Logo, convém utilizar esses equipamentos com máxima cautela, pois quem tem o hábito de usá-los diariamente tem muito mais chances de vir a ter pontas duplas.

Cuidar da hidratação é igualmente essencial para evitar a tricoptilose. Afinal, cabelos secos e maltratados detêm o dobro de risco de desenvolver o problema. Por essa razão, vale a pena manter os fios sempre bem hidratados, o que ajuda a criar uma película protetora para eles, diminuindo as possibilidades de abertura da cutícula e uma consequente exposição das camadas internas.

Uma maneira eficaz de manter os fios bem hidratados é por meio da aplicação semanal de uma máscara de hidratação. Além disso, é recomendada a priorização de produtos específicos, já que existem aqueles criados e voltados para cada tipo de cabelo.

Outro fator comum que acarreta a tricoptilose é o péssimo hábito de não cortar as pontas dos cabelos com certa regularidade. Esse processo de restauração das pontas é indispensável para fortalecer os fios, impedindo-os de se tornarem quebradiços.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, também é desvantajoso não aparar as pontas o suficiente. Para que haja resultado, elas devem perder, aproximadamente, 3 cm a cada novo corte. Dessa forma, os cabelos crescerão de forma muito mais saudável e resistente. O ideal é que as pontas sejam aparadas em intervalos de três meses.

Por fim, todo o esforço para evitar a tricoptilose será em vão se houver negligência com a alimentação, outro fator poderoso causador das pontas duplas nos cabelos. Diga-se de passagem, a dieta alimentar costuma ser a última das preocupações de quem teme sofrer com a tricoptilose.

Para prevenir o surgimento do problema de um modo verdadeiramente eficaz, é imprescindível nutrir o corpo com os elementos necessários à boa saúde capilar. Assim, o organismo conseguirá deixar os fios bem hidratados naturalmente. Os produtos que visam promover a hidratação dos cabelos devem ser vistos como agentes potencializadores do respectivo efeito.

Como evitar o aparecimento da tricoptilose

Segundo os especialistas em cuidados capilares, o ideal é executar uma hidratação profissional em intervalos de 60 dias, aproximadamente. Deve-se enfatizar que a aplicação semanal da máscara, conforme indicado há pouco, não substitui o contato com o profissional da área, uma vez que ele está apto a fazer uma avaliação precisa sobre a saúde dos fios. Esse cuidado é importante, pois permite que os cabelos recebam um tratamento adequado às suas condições atuais.

O uso de um bom protetor térmico voltado para os cabelos também ajuda a evitar a tricoptilose. A ação desse tipo de produto é similar a do protetor solar destinado à pele, ou seja, ambos protegem os fios e a epiderme da incidência nociva dos raios ultravioletas, respectivamente.

Quem tem cabelos longos deve tomar cuidado ao prendê-los, pois essa pressão exercida sobre os fios colabora para o enfraquecimento e rompimento das camadas dos fios. Dormir com o cabelo molhado também não é indicado.