Vacina SPR - contra Sarampo, Papeira e Rubéola - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Vacina SPR – contra Sarampo, Papeira e Rubéola

A vacina SPR é uma injecção com um produto que ajuda a proteger o seu filho de adoecer com o sarampo, a papeira, e a rubéola. Estas 3 doenças eram muito comuns antes de ser encontrada uma vacina, e provocaram muitas mortes todos os anos. Muitas das crianças que apanham todas as suas respectivas vacinas não sofrem estas doenças. O risco de apanhar estas doenças voltará a ser uma realidade se as crianças não estiverem imunizadas.

O que é o sarampo, a papeira, e a rubéola?

Estes vírus (germes) propagam-se de uma pessoa para outra através do ar. O seu filho pode apanhar uma destas doenças por estar perto de alguém que tenha uma delas.

O vírus do sarampo provoca uma erupção cutânea, tosse, corrimento nasal, problemas nos olhos e febre. Pode levar a uma infecção nos ouvidos, a uma pneumonia (infecção nos pulmões), ataques apoplécticos (convulsões), danos cerebrais e morte.

O vírus da papeira causa febre, dor de cabeça, e gânglios inchadas. Pode causar surdez ou meningite (infecção do cérebro e da medula espinal). A papeira também pode causar um inchaço doloroso dos ovários ou dos testículos (orquite). Quando um rapaz fica com orquite, é possível que os seus testículos tenham um tamanho inferior ao normal quando ele crescer. E, também é possível que fique estéril (incapaz de procriar) mas isso é raro acontecer. É muito raro a papeira ser causa de morte.

O vírus da rubéola provoca uma erupção cutânea, febre baixa e artrite (sobretudo nas mulheres). As mulheres grávidas que apanhem rubéola podem sofrer um aborto (o bebé morre antes de estar pronto para nascer). Ou, o bebé pode nascer com graves defeitos de nascença.

Quando é que o seu filho deve ser vacinado contra a SPR?

O seu filho deve receber a vacina SPR nos períodos descritos a seguir. A vacina SPR pode ser dada ao mesmo tempo que as outras vacinas.

– 12 a 15 meses.
– 4 a 6 anos: A segunda vacina pode se dada a qualquer momento, desde que seja dada 28 dias após a primeira vacina.
– Os adultos com idade superior a 18 anos e nascidos após 1956 também deverão ser vacinados com a vacina SPR. Peça aos médicos a vacina se não tiver sido vacinado nem tiver sofrido estas doenças enquanto era criança.

Há pessoas que não devam ser vacinadas com a vacina SPR ou que devam esperar até mais tarde para serem vacinadas?

Não dê a vacina SPR ao seu filho se este tiver tido uma reacção alérgica perigosa a uma das coisas a seguir indicadas:

– Gelatina.
– O antibiótico neomicina.
– Uma injecção anterior da vacina SPR.

Espere para dar a vacina SPR ao seu filho se este tiver um dos problemas a seguir indicados:

– Uma doença moderada ou grave. Espere até o seu filho ter recuperado da doença.
– As mulheres grávidas devem esperar para tomar a vacina só depois do parto. E, as mulheres não deverão engravidar durante 3 meses depois de serem vacinadas.

Pergunte ao médico se o seu filho deve ou não ser vacinado com a vacina SPR, no caso de sofrer de um dos problemas a seguir indicados:

– Tiver feito recentemente uma transfusão de sangue ou de qualquer outro produto sanguíneo.
– Tiver sempre tido uma baixa contagem das plaquetas (um problema no sangue).
– Tiver HIV/SIDA ou outra doença que afecte (enfraqueça) o seu sistema imunitário. O sistema imunitário é a parte dos nossos organismos que combate uma doença.
– Tiver sido tratado durante um período superior a 2 semanas com drogas que afectem o sistema imunitário, como por exemplo esteróides.
– Tiver algum tipo de cancro ou estiver a ser tratado a um cancro com raios-x ou drogas.

Riscos da Vacina SPR

Tal como acontece com qualquer outro medicamento, esta vacina tem alguns riscos. A maioria das crianças não tem reacções graves (problemas) por causa desta vacina. Os riscos de reacções graves ou de morte devido a esta vacina são extremamente pequenos. Apanhar a vacina SPR é muito mais seguro que apanhar qualquer uma das 3 doenças.

A seguir estão descritos os tipos de problemas que o seu filho pode ter depois de apanhar a vacina:

As reacções ligeiras são comuns mas não são graves. Estes problemas ocorrem em regra, 7 a 12 dias após ter apanhado a vacina. A probabilidade de ocorrerem é menor após a segunda vacina:

– Febre.
– Erupção cutânea ligeira.
– Gânglios inchados na face ou no pescoço.
– As reacções moderadas a graves não são muito comuns.
– Dor a curto prazo e rigidez nas articulações, como por exemplo nos joelhos ou nos cotovelos. Isto é mais comum nas mulheres jovens e nas adultas.
– Ataques apopléticos (convulsões) causadas pela febre.
– Contagem baixa das plaquetas, o que pode provocar hemorragias.
– As reacções graves são muito raras.
– Reacção alérgica grave, que dão dificuldades respiratórias e estado de choque.

As reacções a seguir indicadas são tão raras que os cientistas não têm a certeza se são causadas pela vacina:

– Surdez.
– Reacção cerebral grave, que é um ataque apopléctico muito longo e entrar em coma.
– Danos cerebrais a longo prazo.

O que é que posso fazer para diminuir a febre e a dor depois da criança ser vacinada?

Dê ao seu filho um medicamento para reduzir as dores, sem aspirina, como por exemplo paracetamol. Isto é especialmente importante se o seu filho tiver tido um ataque apopléctico. Também é muito importante se um pai, um irmão, ou uma irmã tiverem tido um ataque apopléctico. Pergunte ao médico do seu filho a quantidade de medicamento que lhe deve dar e com que frequência.

Contacte o médico se o seu filho tiver qualquer um dos problemas a seguir indicados, num prazo de alguns minutos a algumas horas após receber a vacina:

– Dificuldades respiratórias, rouquidão, ou asma.
– Urticária (manchas vermelhas na pele com comichão) ou cor pálida.
– Batimento cardíaco acelerado ou tonturas.

Telefone para o 112 a pedir uma ambulância para ir para o hospital mais próximo, no caso do seu filho ter qualquer um dos problemas a seguir indicados. Isto é uma emergência!

Diga aos médicos de urgência do 112 o que aconteceu, a data e a hora em que aconteceu, e quando é que o seu filho foi vacinado:

– Febre de 40° C, ou superior.
– Ataques apoplécticos.

Peça aos médicos para preencher um relatório sobre a reacção adversa à vacina, no caso do seu filho tiver uma reacção ligeira ou grave à vacina.

Outras Leituras:

Rubéola – Sintomas, Tratamento, Período de Incubação e Perigos.

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade