Vírus mais Conhecidos e Usuais

Fique conhecer quais os Vírus mais Conhecidos e Usuais

ADENOVIRUS
Família: Adenoviridae.
Identificação laboratorial: Aumento do título de Ac complemento, utilização de células HEL ou Hela, investigação de cpe com anticorpo fluorescente.
Doenças: Febre, pneumonia, doença intestinal, ceratoconjuntivite. Doença do SNC ou hemorrágica.
Transmissão: Gotículas respiratórias, fezes, via ocular.
Patogénese: Infecção do epitélio respiratório, ocular e intestinal. Tecidos linfóides, amigdalas e adenóides.
Tratamento e prevenção: Não há tratamento. Há vacina viva oral.

——————————————————————————–

ARENAVIRUS (LCM, FEBRE DE LASSA)
Família: Arenaviridae.
Identificação laboratorial: Detecção de Ac-Fixação de complemento, IF, ELISA.
Doenças: Coriomeningite linfocítica-LCM. Doença hemorrágica grave – febre de LASSA.
Transmissão: Escrementos de roedores.
Patogénese: Via sistémica.
Tratamento e prevenção: Eventualmente ribavirina. Não existem vacinas.

——————————————————————————–

BUNYAVIRUS
Família: Bunyaviridae.
Identificação laboratorial: Aumento dos títulos de Ac detectados por ELISA, neutralização.
Doenças: D. febril moderada, fenómenos hemorrágicos, encefalite, nefropatias, sínd. pulmonar grave.
Transmissão: Hantavirus-de urina de roedores.
Bunyavirus-por mosquitos ou carraças e em reservatórios de animais.
Patogénese: Disseminação para o SNC, fígado e rins. Multiplica-se no endotélio vascular.
Tratamento e prevenção: Evitar o contacto com o artropode (vírus La Crosse) ou roedores hantavirus), Vacina para RVF ou febre do Vale Rift.

——————————————————————————–

CORONAVIRUS
Família: Coronaviridae.
Identificação laboratorial: Testes para pesquisa de Ac. O isolamento viral é difícil e raramente necessário.
Doenças: Gripe vulgar com eventual gastroenterite.
Transmissão: Gotículas de saliva.
Patogénese: Ao nível das vias respiratórias superiores.
Tratamento e prevenção: Não existem vacinas ou antivirais.

——————————————————————————–

HEPADNAVIRUS (HEPATITE B)
Família: Hepadnaviridae.
Identificação laboratorial: Antigénio HBs positivo……infecção aguda ou persistente.
Presença de Hbe……………muito infeccioso.
Presença de anti-HBs, anti-HBc e anti-Hbe………infecção recente ou imunidade
Doenças: Hepatite, cirrose, cancro hepático.
Transmissão: Sangue, via sexual e materna.
Patogénese: Hepatocito, formação de complexos imunes.
Tratamento e prevenção: Não há tratamento. A vacina é o Ag HBs produzido por genética molecular.
Interferon alfa e beta para portadores.
Imunoglobulina para tratamento pós-exposição.

——————————————————————————–

HERPESVIRUS
Família: Herpesviridae.
Identificação laboratorial: Cultura celular, aumento do título de anticorpos, linfocitose com linfócitos atípicos e anticorpo heterófilo.
Doenças: Gengivostomatite, furúnculos, encefalite, herpes genital e cutâneo, meningoencefalite, varicela zoster, MI, hepatite, CMV congénito, doença febril moderada, sarcoma de kaposi.
Transmissão: Saliva, líquido vesical, DST, gotículas respiratórias, urina, sémen, secreções cervicais, leite. via placentária.
Patogénese: HHV6,7: células T
HHV8: células endoteliais
CMV: Faringe, disseminação sistémica, células mononucleares
EBV: Faringe, disseminação sistémica, células B e epitélio
VZV: vias respiratórias, pele, gânglios sensoriais.
Tratamento e prevenção: Aciclovir, ganciclovir.
Imunoglobulina varicela-zoster.
Não existem vacinas.

——————————————————————————–

ORTHOMYXOVIRUS (VIRUS INFLUENZA)
Família: Orthomyxoviridae.
Identificação laboratorial: Por testes fixação de complemento, e imunofluorescência.
Culturas em células renais.
Doenças: Pneumonia, estados gripais.
Transmissão: Gotículas respiratórias.
Patogénese: Apenas trato respiratório. Infecção bacteriana.
Tratamento e prevenção: Não há tratamento específico. Vacina inactivada.

——————————————————————————–

PAPOVIRUS
Família: Papovaviridae.
Identificação laboratorial: Papanicolau, por antigénios virais, sequência do DNA viral, hibridização, r. da polimerase.
Doenças: Verrugas, carcinoma do cérvix, doença ligeira das vias aéreas superiores, PML (leucoencefalopatia multifocal).
Transmissão: De pele para pele, DST, gotículas do trato respiratório superior.
Patogénese: Infecção de células epiteliais.
Tratamento e prevenção: Não existem. As verrugas podem ser destruídas por nitrogénio líquido ou a laser. Podofilina e outros são mais lentos.

——————————————————————————–

PARAMYXOVIRUS (ie. SARAMPO e PAPEIRA)
Família: Paramyxoviridae.
Identificação laboratorial: Imunofluorescência, fixação de complemento.
Doenças: Sarampo, parotidite, meningite.
Parainfluenza: Gripe, bronquiolite, pneumonia.
Vírus respiratório sincitial: Gripe, bronquiolite, pneumonia.
Transmissão: Via respiratória.
Patogénese: Disseminação aos linfonodos locais, ao sangue, pele e mucosas.
Tratamento e prevenção: Ribavirina para o RSV. Vacinas vivas atenuadas para sarampo e papeira, não há para RSV e parainfluenza.

——————————————————————————–

PARVOVIRUS
Família: Papovaviridae.
Identificação laboratorial: Detecção de sequências de ácidos nucleicos virais ou de anticorpos IgM específicos.
Doenças: Eritema infeccioso, exantema de “face esbofeteada”.
Transmissão: Gotículas respiratórias.
Patogénese: Células hemopoieticas na medula óssea.
Tratamento e prevenção: Não existe.

——————————————————————————–

PICORNAVIRUS
Família: Picornaviridae
Identificação laboratorial: Culturas de Rinovirus em células renais e pulmonares. No vírus Coxsackie B utilizam-se anticorpos monoclonais.
Doenças: Rinovirus: Gripe comum.
Enterovirus:

Poliovirus: Meningite asséptica, poliomielite.

Ecovirus: Exantemas, meningite asséptica.

Coxsackievirus: Miopericardite, herpangina, meningite, asséptica.

Enterovirus: Conjuntivite, hepatite A.

Transmissão: Via respiratória e via oral-fecal.
Patogénese: Os rinovirus replicam-se nas vias aéreas superiores, os enterovirus na faringe e trato gastrointestinal.
Tratamento e prevenção: Não há tratamento. Vacina viva atenuada ou inactivada para pólio e hepatite A.

——————————————————————————–

POXVIRUS
Família: Poxviridae
Identificação laboratorial: Não existem meios de cultura celular nem testes com anticorpos disponíveis. Pesquisa em biópsias ou fragmentos de lesões.
Doenças: Vírus do molusco contagioso, varíola bovina, dermatite pustular.
Transmissão: Contacto directo com as lesões cutâneas.
Patogénese: Propagação das vesículas ricas em vírus até aos linfonodos locais.
Tratamento e prevenção: Metisazona para efeitos colaterais. Vacinação foi o principal método de erradicação.

——————————————————————————–

REOVIRUS (FEBRE DA CARRAÇA DO COLORADO, ROTAVIRUS)
Família: Reoviridae.
Identificação laboratorial: Aumento de IgM antiviral. Pesquisa nas fezes. Detecção de Ag por imunofluorescência e latex.
Doenças: Diarreia, alterações respiratórias.
Transmissão: Vias respiratórias, fecal-oral e picada de carraça.
Patogénese: Propagação até ao tecido linfóide local e disseminação para os linfonodos locais. Infecção dos enterócitos.
Tratamento e prevenção: Não há tratamento ou vacinas.

——————————————————————————–

RETROVIRUS
Família: Retrovidae.
Identificação laboratorial: HIV-técnicas ELISA, aglutinação em latex, western blotting para detecção de Ac para os Ag gp120, gp41, p24. Cultura de células T.
Doenças: HIV com evolução para SIDA.
Transmissão: Através do sangue, sémen, placenta, leite.
Patogénese: Infecção de células CD4+. Imunossupressão para infecções oportunistas e reativações parasitárias, bacterianas, e virais.
Tratamento e prevenção: Zidovudina. Tratamento das infecções oportunistas. A prevenção é feita através de campanhas de sensibilização.

——————————————————————————–

RHABDOVIRUS (RAIVA)
Família: Rhabdoviridae.
Identificação laboratorial: O isolamento do vírus não é necessário. Pesquisa de inclusões e antigéneo por fluorescência (AF).
Doenças: Comprometimento do SNC.
Transmissão: Mordedura de cão, gato, morcego.
Patogénese: Disseminação para o SNC e através dos nervos periféricos. Para a pele e glândulas salivares.
Tratamento e prevenção: Não há tratamento específico. Vacina inactivada e soro humano imune.

——————————————————————————–

TOGAVIRUS (ie RUBÉOLA e FEBRE AMARELA)
Família: Togaviridae.
Identificação laboratorial: Culturas celulares, testes ELISA e IH para doseamento da IgM.
Doenças: Exantema discreto, artralgias, malformações congénitas- -Rubéola. Febre amarela, encefalite, febre hemorrágica dengue.
Transmissão: Rubéola-gotículas de saliva. Os outros vírus, por picada infectada.
Patogénese: Infecção inicial por via respiratória ou pele, multiplica-se na placenta, feto, fígado ou SNC.
Tratamento e prevenção: Não há tratamento. Vacina viva atenuada, apenas para rubéola, febre amarela e encefalite.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:08 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)